13 de setembro de 2011

Como vivem os presos idosos?

  

Idosos atrás das grades


Todas as vezes que o sistema prisional é noticia, as imagens que nos chegam são de jovens, cada vez mais jovens, presos. As pessoas idosas, presas, passam-nos desapercebidas. Temos a falsa impressão de que quase não existem pessoas da terceira idade atrás das grades. Porém, as estatísticas nos mostram outra realidade. Uma realidade desoladora.
No sistema prisional o crescimento é percebido. Não existe uma estatística científica que possa demonstrar com números esta tese, mas sabe-se que hoje, nos presídios do estado de São Paulo, os presos idosos chegam a representar 5% da população carcerária.

Em São Paulo, já houve uma penitenciária própria para pessoas idosas, que tinha suas vantagens e desvantagens. A principal vantagem era o ambiente mais tranqüilo para o cumprimento da pena e as desvantagens eram a falta de ajuda prestada pelos mais jovens, quando da ocorrência de doenças ou outros fatos debilitantes, e a privação da convivência com o clima alegre, descontraído e de apoio dos jovens. A pessoa idosa recebe, carinhosamente, dos companheiros de cela, o titulo de “Sinhozinho”, “Vovô”, ou “Tiozinho”. Esta unidade especial foi aos poucos mudando a população, alguns idosos foram saindo, outros foram transferidos e a casa foi recebendo pessoas mais novas. Hoje vivem espalhados nos presídios do Estado.

Em relação ao comportamento, o que o quadro técnico do Sistema Prisional, formado por psicólogos, assistentes sociais e médicos, tem constatado é que quanto mais avançada a idade da pessoa aprisionada, maior serão: a passividade, a incidência de depressão, o cansaço, a decadência física, os problemas de saúde, o abandono, a ausência de visitas, o isolamento voluntário, a falta de perspectiva, a abnegação e a tolerância. O que não muda é a perspectiva da liberdade. Os anseios são iguais aos demais encarcerados, esperam a Liberdade ansiosamente, mesmo àqueles condenados a muitos anos de cadeia. 


Administrar uma unidade com pessoas mais idosas é bem mais tranqüilo. Pois a tarefa que a sociedade mais exige do Sistema Prisional é segurança, não permitir fugas, e os idosos são os que menos tem condições de fazer buracos, escalar muros, fazer funcionários de reféns e burlar a segurança. 
A pessoa idosa, dentro da cadeia, é sempre tratada com carinho pelos outros presos, isto significa que é dispensada dos trabalhos de rotina da casa, como varrer, lavar a cela, lavar a roupa, fazer faxina no pátio, etc. Muitas vezes até a barba é feita por outro preso mais novo. Em presídios femininos, a pessoa chega até a ter um espaço maior para colocar os seus materiais, seus pecúlios, cedido pelas companheiras de cela. Tenho observado que é mais comum a mulher idosa receber mais visita que o homem idoso. Isto contraria a regra das visitas, já que a população masculina é a mais visitada pela família, esposa, mãe ou filhos, enquanto que a mulher dificilmente recebe visita do marido, apenas da mãe ou dos filhos.
 

Pe. Valdir João Silveira
Coordenador da Pastoral Carcerária do Estado de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Seguidores

hq

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

seguidores

Total de visualizações de página

Gostou?

twitter